Dicas de como sobreviver numa floresta

Resumo: dicas básicas e práticas para sobreviver numa floresta com base na nossa experiência durante a trilha do Pico do Frade, RJ.

O Pico do Frade possui 1.578m de altitude e é um dos pontos mais altos do município de Angra dos Reis no Estado do Rio de Janeiro. O acesso pode ser feito por Bananal (SP) pela Vila do Frade ou por Mambucaba em Angra dos Reis (RJ). O trajeto mais fácil é por Bananal e mesmo assim são mais de cinco horas de caminhada pesada.

Pico do Frade Trilheiros
Pico do Frade | Trilheiros

Mas vamos realizar o relato completo desta trilha na próxima vez que voltarmos até porque nesta primeira investida que fizemos ao Pico do Frade nós não chegamos ao pico… A trilha é no meio da floresta de mata atlântica fechada com lama, declives, subidas e travessias de riachos. Tínhamos um croqui com as indicações e a trilha mapeada no GPS mas a navegação é difícil pois há bifurcações, árvores caídas encobrindo partes do percurso, pouca sinalização e trechos com recepção ruim do GPS.

De qualquer forma, valeu pela aventura! E podemos aproveitar nossa experiência para reforçar algumas dicas que foram muito úteis para sobreviver na floresta! rs

Já falamos sobre algumas delas na publicação 10 Cuidados simples para evitar problemas e curtir sua trilha mas é sempre bom tomar os devidos cuidados para ter experiências positivas com segurança!

Como sobreviver numa floresta: O preparo para a trilha

Mapa bussola orientacao trilha

O preparo para a trilha é uma das etapas mais relevantes pois previne a maioria dos problemas e dificuldades que podem surgir numa trilha. Portanto, vale a pena investir tempo nesta atividade.

1) Planejamento: Estude o local e as condições da trilha lendo relatos de quem já fez e verificando a duração estimada, distância, altitude e elevação para realizar o planejamento e preparar-se para a aventura. No nosso caso, lemos sobre essa trilha no blog do Augusto Trilhas, Trips e Relatos de Caminhadas que já foi nossa fonte de informação para outros lugares. Pegamos todas dicas de como chegar, pontos de atenção, dificuldades e cuidados para esta trilha.

2) Orientação: Sempre leve um GPS e o mapa da região. Nós tínhamos um croqui da trilha com marcações que sinalizavam o trajeto correto, fizemos o download do mapa no GPS e também levamos uma carta topográfica. Além disso, conversamos bastante com o Carlinhos da Pousada Brejal aonde ficamos hospedados para iniciar a trilha. Ele conhece bastante o lugar e passou várias dicas atualizadas da trilha do Pico do Frade.

3) Equipamento: alguns equipamentos são essenciais para qualquer trilha, são eles: kit de primeiros socorros (saiba como montar o seu kit de primeiros socorros AQUI), lanterna, fósforo ou isqueiro. Sobre a vestimenta, recomenda-se sempre fazer trilhas com camiseta de manga e calça compridas para proteger do sol, insetos e da mata fechada. Na trilha do Pico do Frade, esses itens fizeram toda a diferença pois haviam muitos bambus e folhagens cortantes. Outro ponto é o tecido, um material de secagem rápida proporciona maior conforto tanto no calor quanto no frio.  A bota de trekking é outro item recomendado pois protege o tornozelo e tem o solado mais aderente, vantagens que ajudaram bastante nas caminhadas pelos riachos com pedras escorregadias e no lamaçal que até atolava, mas a bota estava presa no pé e era mais fácil sair sem perder o calçado rs. E por fim, uma jaqueta impermeável ou capa de chuva, nós sempre levamos as nossas pois a natureza é imprevisível, mas por sorte a previsão do tempo acertou e não choveu.

Uma dica adicional é aproveitar a tecnologia: descobrimos um equipamento que envia mensagens via satélite e comunicações de emergência mesmo em lugares remotos. Fizemos testes e funciona! O nome dele é SPOT.

4) Alimentação e Água: leve sempre água e comida adicional para imprevistos. Nós organizamos a alimentação por refeição: café da manhã, almoço, jantar e lanches intermediários. E lembre-se, fazer trilhas é uma atividade física então é importante repor as energias com uma alimentação balanceada. Informe-se sobre os pontos de água disponíveis e leve um purificador ou filtro de água (leia mais sobre o filtro/purificador AQUI).

5) Comunicação: Informe seus parentes e/ou amigos aonde você vai e qual será a previsão de retorno.

6) Humildade: excesso de confiança pode prejudicar o seu preparo e consequentemente alguns itens não receberão a atenção devida. Por mais experiente que seja o trilheiro, não se deve subestimar a natureza e os imprevistos que podem surgir. Um exemplo, desta vez nós acabamos saindo mais tarde para iniciar a trilha. Nós geralmente saímos com tempo de antecedência, mas desta vez nós pensamos que teríamos tempo suficiente. Só que não rs Acabamos voltando em alguns trechos e se tivéssemos saído no horário sugerido, poderíamos quem sabe ter chego ao pico.

Como sobreviver numa floresta: Durante a trilha

Travessia rio trilha pico do frade

Depois do planejamento e do preparo, chegou finalmente a hora da aventura! Mesmo fazendo tudo conforme as orientações, há imprevistos e situações que fogem do nosso controle. Como se perder ou precisar passar a noite na mata. Na trilha do Pico do Frade, nós já tínhamos programado para acampar na trilha, mas não conseguimos chegar no local pré-definido então tivemos que improvisar.

7) Direção da trilha: se você estiver inseguro sobre a direção da trilha, volte até um ponto que tenha mais segurança sobre a localização e refaça o trajeto até encontrar um ponto de referência. Várias trilhas possuem marcações sinalizando a direção correta mas na trilha do Pico do Frade, só há marcações em alguns pontos e há muitas bifurcações que confundem. Caminhamos quilômetros apenas com a direção do GPS (que nem sempre é tão precisa) e quando vimos que estávamos distanciando da trilha do GPS e sem as marcações sinalizadas pelo croqui com o risco de cair num acampamento de palmiteiros, nós decidimos voltar até um ponto seguro com referência no mapa. Chegamos neste ponto e discutimos se valia a pena continuar ou abortar a aventura. Como tínhamos tempo para tentar a investida até o pico, refizemos novamente o trajeto e encontramos as referências. No final, estávamos no caminho certo e conseguimos avistar as marcações confirmando o trajeto. Perdemos quase duas horas nesta ocasião, mas dessa forma garantimos que estávamos na direção correta.

8) Abrigo: comece a procurar um abrigo ou local para levantar acampamento de preferência antes de anoitecer. Dependendo das condições climáticas, o abrigo é essencial. Na trilha do Pico do Frade, passaríamos a noite acampados no pico. Como já estava escurecendo, decidimos acampar no primeiro local adequado que encontrássemos. Encontramos um local perfeito: um descampado com espaço para as barracas e próximo a uma fonte de água corrente para tomar um “banho”e cozinhar!

9) Calma: tente manter a calma pois o pânico prejudica o raciocínio e a reação. Uma dica legal que encontramos é o PPOP: Pare, Pense, Olhe ao seu redor e Prepare-se para sobreviver rs E lembre-se, a natureza já foi por muito tempo o nosso lar e abrigo, só precisamos saber lidar com a situação até encontrar um rumo.

Como sobreviver numa floresta: Após a trilha

Aventura Trilha Pico do Frade Trilheiros

10) Reflexão: aproveite a experiência e reflita sobre os aprendizados para evitar contratempos, aprimorar suas técnicas e evoluir. Imprevistos e dificuldades podem acontecer a qualquer momento e em qualquer lugar mas um espírito de aventura faz toda a diferença superando as barreiras de forma positiva. E esse é um dos maiores aprendizados que a trilha trouxe para nossas vidas.

Nesta aventura ao Pico do Frade nós não conseguimos alcançar o objetivo de chegar ao pico por alguns motivos: saímos mais tarde que o recomendado e enfrentamos alguns imprevistos e dificuldades na navegação. Nem sempre é possível chegar ao objetivo final traçado numa aventura, mas o tempo gasto não foi em vão pois ganhamos experiência e novos aprendizados para as próximas trilhas além de desfrutar das coisas boas que a natureza oferece.

Lu | Trilheiros.net

Blog para quem ama aventuras explorando novos lugares, curtindo a natureza e aproveitando a vida

Deixe uma resposta