Nepal: conhecendo a cultura, curiosidades e encantos do país

O Nepal foi nosso destino para o trekking ao Campo Base Everest e aproveitamos a viagem para conhecer alguns atrativos da sua encantadora e curiosa cultura.

Chegamos em Kathmandu, a capital do Nepal, com o objetivo de realizar o trekking ao Campo Base do Everest. Logo de cara levamos um choque cultural e tivemos uma primeira impressão caótica da cidade com trânsito bagunçado e poluição visual e sonora. Mas aos poucos quando vivenciamos mais da rotina local, descobrimos uma série de curiosidades, histórias e tradições dessa cultura que nos encantou.

Trekking Campo Base do Everest, Nepal | Trilheiros
Trekking Campo Base do Everest, Nepal | Trilheiros

Informações Gerais do Nepal

  • Gentílico: nepalês
  • Capital: Kathmandu (Catmandu em português)
  • Língua oficial: nepalês
  • Tipo de governo: República
  • Moeda: rupia nepalesa
  • Fuso Horário: GMT +05:45, são 8h45min a mais que o horário de Brasília
  • Religião: 80% hinduísmo, 10% budismo e 10% outras
Trilheiros em Monkey Temple, Nepal | Trilheiros
Trilheiros em Monkey Temple, Nepal | Trilheiros

O Nepal é um pais pequeno, quase do tamanho do estado do Ceará, que fica na Ásia entre a China (Tibete) e a Índia. Até recentemente era uma monarquia e virou república parlamentar em 2008. Possui um IDH baixo de 0,428 e uma economia considerada pobre (88ª posição, conforme o Banco Mundial – 2010) baseada principalmente na agricultura e no turismo.

O Nepal faz parte da mais alta cadeia montanhosa do mundo, o Himalaia que significa “morada da neve”. Essa cadeia abrange cinco países: Paquistão, Índia, Nepal, Butão e República Popular da China, e é o lar do ponto mais alto do planeta, o Everest (8.844m).

Dingboche em trekking ao campo base do Everest | Trilheiros
Dingboche em trekking ao campo base do Everest | Trilheiros

Ouvimos muito falar que a primeira vez que se viaja ao Nepal é pelas montanhas, mas que depois o desejo de voltar é pelas pessoas. Fato que comprovamos e partilhamos. Além das montanhas, trilhas, cultura e atrativos do país, definitivamente os nepaleses são uma atração a parte com seu carisma, força de vontade e receptividade que fizeram da nossa experiência um aprendizado muito significativo.

Algumas curiosidades sobre o Nepal

  • Um exemplo da singularidade do país começa com a bandeira, a única do mundo que não tem o formato retangular.
  • Dá para se comunicar bem em inglês. Vale aprender e utilizar a saudação “namastê” que significa: “O deus que habita em mim saúda o deus que habita em você”.  Na prática, serve como “Bom dia”, “Boa noite”, “Olá”, frequentemente expressa juntando as palmas das mãos e uma reverência da cabeça.
  • No trânsito a comunicação é na base da buzina mesmo. Deve-se tomar cuidado principalmente na hora de atravessar (estou parecendo mãe rs) pois a direção é inglesa e o transito caótico não conta com semáforos (só vimos alguns nas rodovias) nem calçadas para os pedestres.
  • A mão esquerda é considerada impura (usada para higiene pessoal). Desta forma, para dar e receber qualquer coisa, utiliza-se a mão direita.
  • O Nepal abriga a cidade de nascimento do príncipe Sidarta Guatama, o Buda. Por este motivo a cidade de Lumbini atrai muitos turistas e peregrinos.

As primeiras dicas para o Nepal

  • Como chegar: o principal acesso é por Kathmandu. Confira aqui o nosso roteiro.
  • Visto: o visto para o Nepal é obtido no aeroporto logo após o desembarque. Preencha o formulário que está disponível no balcão e faça o pagamento em espécie (US$ 40/pessoa para 30 dias). É possível levar o formulário preenchido que está disponível no site se quiser adiantar o processo.
  • Vacinas: é necessário o certificado internacional de vacina contra a febre amarela. Este certificado é solicitado no check-in no Brasil e na chegada a Kathmandu.
  • Aonde ficar: o bairro Thamel em Kathmandu abrange a maior concentração de hotéis, restaurantes e lojas de souvenirs, artesanatos e equipamentos. Inclusive muitas lojas oficiais de marcas como North Face, Mountain Hardwear, Black Yak, Millet oferecem produtos a preços bem menores que no Brasil. Confira nosso guia de compras em Kathmandu – em breve
  • Infraestrutura: o emaranhado de fiação elétrica exposta nas ruas denuncia um lugar que cresceu sem planejamento e investimento para suportar a demanda. A energia elétrica é precária e caía pelo menos umas duas vezes por dia em Kathmandu. Em Kathmandu e no início do trekking ao Campo Base do Everest, a recarga dos equipamentos eletrônicos é liberada, mas no meio do trekking a utilização das tomadas passa a ser cobrada. O Wi-Fi é disponível gratuitamente em alguns estabelecimentos como restaurantes e cafés de Kathmandu (confira nosso guia de restaurantes em Kathmandu – em breve). O mais interessante é que durante todo o trekking tem rede de dados disponível por meio de cartões pré pagos comercializados na cidade e nos lodges·
  • Higiene e saúde: infelizmente a higiene sanitária e o tratamento de água são problemas no Nepal. Fomos orientados a sempre escovar os dentes com água mineral mesmo no hotel. Também por razões sanitárias, exceto em poucos restaurantes, não é indicado comer carne ou frutas e verduras frescas. Na época da nossa viagem, pegamos o final das monções com chuvas esporádicas juntando com o calor e sol forte, o clima era propício para os mosquitos e pernilongos em Kathmandu, mas nada que um bom repelente resolva.
  • Quando ir: no geral a melhor época para trekking é na temporada seca de Outubro a Maio.

Principais atrações de Kathmandu, capital do Nepal

O Nepal tem uma cultura rica e uma diversidade de lugares, templos e experiências para oferecer. Como nossos dias estavam contados, selecionamos os lugares mais próximos a Kathmandu para otimizar nosso tempo e o nosso bolso rs

Durbar Square de Baktapur, Nepal | Trilheiros
Durbar Square de Baktapur, Nepal | Trilheiros

Preferimos manter os nomes das atrações e lugares em inglês para facilitar a pesquisa e a comunicação de quem for para lá. Confira as atrações do nosso roteiro em Kathmandu, Nepal:

Dia 1: Principais atrações de Kathmandu, Nepal: Thamel e Garden of Dreams

Dia 2: Principais atrações de Kathmandu, Nepal: roteiro a pé do Thamel até Durbar Square

Dia 3: Principais atrações de Kathmandu, Nepal: Monkey Temple

Dia 4: Principais atrações de Kathmandu, Nepal: Durbar Square de Patan e Bhaktapur

Dia 5: Principais atrações de Kathmandu, Nepal: Kopan Monastery, Boudhanath Stupa e Pashupatinath

Dia 6 – Preparativos para o Trekking ao Campo Base Everest, Nepal

Publicações especiais sobre o Nepal

  • Como chegar no Nepal: dicas de vôos e conexões.
  • Trekking ao Campo Base do Everest: roteiro completo da trilha.
  • O que comer no Nepal: bom, a gente adora comer. Mesmo nos trekkings, procuramos nos alimentar bem e gostoso! rs E durante nossas viagens, curtimos experimentar os pratos locais. Então fizemos uma seleção dos principais pratos e restaurantes que conhecemos no Nepal – em breve
  • O que comprar no Nepal: alguns cuidados, pechinchas e dicas de boas compras para quem vai para o Nepal – em breve

Lu | Trilheiros.net

Blog para quem ama aventuras explorando novos lugares, curtindo a natureza e aproveitando a vida

Deixe uma resposta