Trekking Campo Base do Everest – Dia 4

O dia começou com sol radiante e terminou numa cerimônia abençoada na montanha.

Para a nossa surpresa, o dia 27/Setembro amanheceu com o sol! Pela primeira vez desde o início do nosso trekking até o Campo Base do Everest. Só porque eu não estava mais pedindo nem esperando por ele. Hum… percebi que os dias nublados me ensinaram uma lição… 🤔

Khumjung até Tengboche – Trekking Campo Base Everest Trilheiros

Tomamos o café da manhã com vista para a Khumbila, uma montanha atrás do nosso hotel em Khunjung.

Trekking Campo Base Everest | Community Trek

A trilha começou debaixo de um céu azul numa temperatura de 10 graus. Assim que deixamos a fronteira do vilarejo, passaram uns yaks e o pastor montou um totem no caminho. Nosso guia Nabin explicou que esse totem serve para deixar os espíritos ruins para trás. O pastor e seus yaks podem assim continuar a viagem tranquilos.

Espécies de animais de carga nas montanhas

Bovinos: o animal que aparece nas altitudes inferiores é o dzo (um híbrido entre o yak e o gado doméstico) com pelagem curta. Para altitudes mais elevadas, o que prevalece é o yak (fêmea: nak) com pelagem espessa e apropriada para proteção do frio intenso.

Mulas: as mulas são um fenômeno recente (mais ou menos 2 anos). Têm menor capacidade de carga que os dzo e yak e só vão até a altitude de Namche Bazaar (cerca de 3400 m).

Às 10h paramos na tea house após 500m de descida, 5km de distância e 2h40m de percurso. Na ponte sobre o rio Duah Koshi Nadi. Até então, este foi o dia mais quente da trilha. A temperatura bateu 17,5 graus.

Depois da ponte foi só subida. Com sol forte, paramos algumas vezes para descansar e juntar o grupo. Nossos guias lembravam regularmente o lema bistari que significa devagar. Caminhar devagar e sempre…

O tempo começou a virar. Muitas nuvens rodeavam as montanhas.

Às 13:50h chegamos no nosso lodge Tashi Deleck em Tengboche (3858m de altitude). Almoçamos e às 15h saímos para participar de uma cerimônia no monastério Thyangche ou Tengboche.

Monastério em Tengboche – Trekking Campo Base Everest Trilheiros

A entrada é gratuita e é proibido fotografar dentro do templo. Nosso guia cultural Nabin levou nossas bandeiras para receber uma bênção dos monges. Inclusive, quem tiver interesse pode levar também basta pedir e depois retribuir com uma doação. Os monges recitaram mantras e abençoaram nossas bandeiras. A cerimônia durou 30 minutos.

Na saída, o Nabin explicou as pinturas das paredes, uma delas era o círculo do Samsara a roda do nascimento e renascimento:

O Samsara é um ciclo natural de morte e renascimento em seis caminhos diferentes definidos a partir do karma, ações boas ou ruins. A pintura tibetana ilustra a parte branca simbolizando as ações negativas e a parte preta as ações negativas. O grande objetivo do homem é escapar dessa realidade. A superação conhecida como nirvana é alcançado por meio do desprendimento de prazeres e sensações materiais. O dharma conjunto de ensinamentos deixados por Buda, é o guia. E apenas a iluminação pode quebrar esse ciclo.

Círculo do Samsara

No quintal do monastério, encontramos um filhote de yak. A coisa mais fofa e doce! Não aguentamos e partimos pra cima do filhote!

Filhote de yak – Trekking Campo Base Everest Trilheiros

Com as bandeiras abençoadas, subimos uma montanha para pendurá-las no topo da estupa. Atingimos a maior altitude do trekking: 3.900m.

As bandeiras funcionam assim: você pode escrever o nome de uma pessoa, fazer um pedido ou uma pergunta. O vento leva a prece pelo universo e traz a resposta de volta. Falaram que receberemos sinais e talvez até mesmo a resposta às nossas orações ao longo do trekking.

Estupa em Tengboche – Trekking Campo Base Everest | Community Trek

O Nabin fez uma prece, jogamos arroz e penduramos nossas bandeiras no alto da montanha. Depois, circulamos pelo menos 3 vezes no sentido horário ao redor da estupa. Dependendo do pedido, é bom dar mais voltas. Mas sempre numero ímpar 3, 5 ou 7 vezes.

Quando descíamos da montanha, vimos uma pedra empilhada e decidimos montar um totem. Cada um colocou uma pedra. Depois descobrinos que aquele sólo era sagrado e que tínhamos acabado de construir algo com o poder de uma estupa! 😱

Voltamos para o hotel e tomamos um banho quente (500 rúpias). Ficamos batendo papo no restaurante numa mistura louca de idiomas mas todos na mesma sintonia: alegria.

Dia 4 do Trekking ao Campo Base do Everest: Khumjung até Tengboche
  • Distância: 8,18km
  • Altitude: 3.900m Tengboche
  • Altitude acumulada: +595m
  • Trilha sonora do dia: Glad you came – The Wanted

The sun goes down

The stars come out

And all that counts

Is here and now

My universe will never be the same

I’m glad you came

Confira o vídeo desse dia no nosso Canal do Youtube:

Roteiro do Trekking ao Campo Base do Everest

Chegando no Nepal para o Trekking ao Campo Base do Everest

Nepal: conhecendo a cultura, curiosidades e encantos do país

 

Dia 1 do Trekking ao Campo Base do Everest: chegada em Lukla e trekking até Phakding

Dia 2 do Trekking ao Campo Base do Everest: Phakding até Namche Bazaar

Dia 3 do Trekking ao Campo Base do Everest: Namche Bazzar até Khumjung

Dia 4 do Trekking ao Campo Base do Everest: Khumjung até Tengboche

Dia 5 do Trekking ao Campo Base do Everest: Tengboche até Dingboche

Dia 6 do Trekking ao Campo Base do Everest: Aclimatação em Dingboche

Dia 7 do Trekking ao Campo Base do Everest: Dingboche até Dughla

Dia 8 do Trekking ao Campo Base do Everest: Dughla até Lobuche

Dia 9 do Trekking ao Campo Base do Everest: Lobuche até Campo Base Everest e Gorakshep

Dia 10 do Trekking ao Campo Base do Everest: Gorakshep até Pheriche

Dia 11 do Trekking ao Campo Base do Everest: Pheriche até Namche Bazar

Dia 12 do Trekking ao Campo Base do Everest: Namche Bazaar até Phakding

Dia 13 do Trekking ao Campo Base do Everest: Phakding até Lukla

Lu | Trilheiros.net

Blog para quem ama aventuras explorando novos lugares, curtindo a natureza e aproveitando a vida

Deixe uma resposta